domingo, 30 de dezembro de 2012

O contra-rotulo - La contre-étiquette

Estive a tentar escrever um texto para o contra-rotulo da colheita de 2011.
Gostaria de ler a vossa opinião.

"Este vinho foi vinificado o mais natural possivel, sem maquilhagens, com o objectivo de expressar a pureza do "terroir" granitico da Serra da Estrela, tal como era no tempo dos nossos avos.
Provem de uma vinha velha recuperada do abandono, onde se destacam castas autoctonas actualmente esquecidas, como a Tinta Pinheira, o Negro Mouro e a Tinta Amarela."


J'ai essayé de rédiger un texte pour la contre-étiquette du millésime 2011. Je souhaiterais connaître votre opinion.

"Ce vin a été vinifié le plus naturellement possible, sans maquillage, dans l'objectif d'exprimer la pureté du "terroir" granitique de la Serra da Estrela, tel qui était du temps de nos grand-parents. 
Il provient d'une vieille vigne récupérée de l'abandon, composée de cépages autochtones actuellement oubliés, tels que la Tinta Pinheira, le Negro Mouro et la Tinta Amarela."

4 comentários:

  1. Também acho bom. Sem grandes rodeios, sucinto mas interessante.

    ResponderEliminar
  2. hummm sem referencias a Barricas? E não será que falar dos "métodos antigos" os consumidores não vão pensar que tem um perfil antigo, ver incorrecto, oxidado... Penso que seria interessante bom falar em metodos modernos ver actualizados ... Mas quem sou eu ...

    ResponderEliminar
  3. Viva Paixão do Vinho,
    Obrigado pelas suas sugestões.
    O seu comentario leva-me a pensar que talvez ainda não tenha consigo transmitir as minhas ideias neste texto de contra-rotulo.
    Não falo em barricas porque acho essa questão segundaria. Uso barricas, mas barricas usadas (com pelo menos 2 anos de utilização prévia), pois considero que assim tiro os beneficios da barricas, sem os defeitos da barrica nova, pois essa marcaria demasiado o vinho.
    No texto não falei de "métodos antigos", falei sim de vinificação que visa a expressar o terroir da Serra da Estrela. O que pretendo é expressar esse terroir dentro da garrafa. Considero que isso não é obsoleto, mais sim a verdadeira modernidade.
    Como vê ha muitas ideias para transmitir, não é facil fazê-lo de maneira sintectica num texto curto. Por isso é que peço a ajuda dos leitores, pois considero que a união faz a força e que assim atingirei este objectivo mais facilmente do que sozinho.
    Mais uma vez bem haja pelo seu comentario e votos de um bom 2013!
    Antonio

    ResponderEliminar