terça-feira, 21 de fevereiro de 2012

Faltam menos de duas semanas para ir podar

Faltam menos de duas semanas para voltar a Terra Santa, desta vez para podar a vinha que safei da morte.
Vai assim iniciar o terceiro ano/ciclo em que trato dela.

Vou podar ja em Março por querer podar o mais tarde possivel, tentando assim retardar o abrolhamento e assim prevenir as geadas tardias da primavera.

A vinha é podada em Guyot simples, como costuma ser o caso nas vinhas velhas da região.


Este tipo de poda convem melhor a esta vinha, pois preserva-a mais do que por exemplo a poda a Cordon de Royat, o tipo de poda maoiritariamente usada nas vinhas novas em Portugal.

A poda em Guyot não cansa tanto a vinha, ja de si cansada pelo abandono que conheceu. Não se pode esquecer que esteve a beira de morrer e por isso ainda esta de certa maneira em convalescência.

Cêpa podada em Guyot simples

A poda em Guyot consiste em cortar as varas do ano passado e deixar so uma que servira de suporte as lançamentos do novo cilco vegetativo. Pode se deixar eventualmente outra vara mais baixa, caso se pretenda renovar e rebaixar a cêpa.

Na vara que escolhemos, deixamos, consoante os objectivos de produtividade e de qualidade pretendidos, um numero de olhos mais ou menos importante. Cada olho dara nascença, aquando do abrolhamento, as varas que vão dar mais tarde as uvas.

Depois de podar, da-se ao acto da "empa".
A empa consiste em atar a vara que deixamos ao arame mais baixo da estrutura de suporte da vinha.
Permite suporte e protege a vara do vento.

Na região ata-se com rafia, um material natural e bio-degradavel tipo palha. Ha pessoas que utilizam elasticos ou fios de plastico, mas acho mais encanto a rafia, é mais bonito e respeita mais a natureza.

Rafia
Este tipo de poda da mais trabalho do que a poda "moderna", demora mais e é mais dificil técnicamente.
No ano passado eramos 5 a podar, demoramos 3 dias para podar e empar o hectare de vinha.

Mas depois traz mais equilibrio a planta e genera menos lançamentos ladrões. Tem por isso as suas vantagens recompensadoras.

Deixo algumas fotos do ano passado, de antes e de depois de podar.

Antes da poda : é mais ou menos assim que vou encontrar a vinha.



Despida de verdura, com as varas do ano passado um pouco caoticas.


Com a serra sempre a plano de fundo.


Depois da poda, nota-se que a intervenção humana deixa logo uma sensação de ordem.




Os grandes vinhos fazem-se na vinha, é uma grande verdade!

Sem comentários:

Enviar um comentário