sexta-feira, 10 de fevereiro de 2017

A prova no Simplesmente Vinho 2017

Dias 24 e 25 de Fevereiro espero me encontrar com vocês no Simplesmente Vinho, no Porto.


Vou levar os novos vinhos que vou lançar nos proximos meses, 3 tintos de 2014, o branco 2015 e o rosé 2016. Nos tintos temos um belo Vinhas Velhas 2014, o single vineyard A Centenaria 2014 e o Tinto Colheita, a novidade deste ano.


Um vinho mais simples e descontraido, um vinho para beber e que mostra a filosofia da casa, numa versão mais acessivel.

Funcionara, digamos, como o meu vinho de entrada.

Estes tintos de 2014 apresentam-se neste ano todos muito frescos e leves, com um grau de alcool moderado, na casa dos 12/12,5%





O branco 2015 promete muito, esta nesta altura a ser engarrafado, depois de dois invernos de descanco. Um vinho que fermentou quase um ano e que a semelhança dos anos anteriores se apresenta muito puro e focado na mineralidade, na sanilidade. Agora tambem com um ligeiro contributo de barrica (500L em 3000).

O rosé 2016 foi agora engarrafado, um rosé seco, vinoso, fresco e estruturado, oriundo de vinhas velhas com muita casta misturada, e tal como em todos os meus vinhos, fermentado pelas leveduras das proprias uvas, vindas das vinhas. Um rosé do terroir do Dão Serra da Estrela.

Espero que possam vir provar ao Simplesmente Vinho.
Até breve!

domingo, 1 de janeiro de 2017

2016, um ano cheio!

Partilho convosco neste post algumas imagens marcantes do ano 2016.
Foi um ano cheio, em que não se parou de correr, nesta luta quotidiana pela concretização do nosso sonho de vida.

Começou com a poda invernal

Os solos estão ano apos ano com mais vida.


Passamos dias e dias a levantarmos a 5h30 para irmos fazer os trabalhos em verde pela fresca, nos dias quentes do verão.



Trabalhos que ajudaram a obter uvas sãs na altura das vindimas.


Vindimas em que pude contar com a ajuda do tempo, clemente no mês de Setembro, o que permitiu, neste ano tardio, esperar pela boa maturação das uvas. Vindimamos entre fim de Setembro e inicio de Outubro.



Vindima em que mais uma vez a ajuda de familiares e amigos foi preciosa.


2016 foi um ano em que pude continuar a fazer muitas vinificações, umas vinte.


Vinificações por parcelas nos tintos. 


Mas tambem experiências, nas outras cores.

Palhete sem sulfuroso

Fermentações de brancos em grandes volumes
Vinificação de branco de vinhas velhas sem sulfuroso



O meu branco 2015 la terminou em Julho 2016 a sua fermentação alcoolica, quase um ano depois. Foi tambem o primeiro ano em que deixamos fazer o malico. O resultado promete. Por enquanto continua o estagio, um segundo inverno, para uma estabilização e clarificação natural, sem recurso a produtos exogenos. O engarrafamento devera ocorrer no inicio de 2017.
2016 foi o ano em que lancei mais vinhos, mostrando ensaios em blends especiais, assim como single vineyards, expressões de sitios especiais.


Lancei tambem o meu primeiro rosé, de 2015, um dos raros feitos de uvas de vinhas velhas, 20 castas e provavelmente mais do dobro em variedades de leveduras indigenas.
Engarrafou-se os tintos de 2014, que agora repousam a espera de digerir o traumatismo do engarrafamento.

2016 foi tambem um ano em que recebi varias visitas. Gente interessada em conhecer melhor os vinhos e o nosso trabalho.


Foi um ano, em que tentei participar o que podia em feiras e provas.
Andei assim a apresentar os vinhos em Portugal, no Porto, em Lisboa e no Algarve.

No Porto, no Simplesmente Vinho
No Algarve, com a Wine Emotions
Mas tambem la fora, principalemente em Paris, Barcelona e Londres.

Em Barcelona, Simplesmente Vinho BCN

Em Paris, no primeiro salão dedicado ao vinho português

Em Londres, no RAW, respresentando os vinhos naturais de Portugal
Foi um ano, em que aos poucos la vamos saindo do anonimato, com alguns artigos a sair na imprensa especializada.

 

Mas foi sobretudo um ano em que felizmente pude contar com o suporte de amigos nos bons e nos maus momentos.




Ajudam a nos sentir menos sos.
Sem a amizade, nada vale a pena!

Nada melhor do que partilharmos umas garrafas!
Um dos grandes amigos que me tem ajudando imenso, é o meu sogro. Verdadeiro vigneron, homem da terra, tem sido a peça essencial em todo este puzzle, principalmente na vinha.
2016 foi tambem um ano em que pude continuar a contar com o apoio das equipas da Pellada e da Niepoort. Sem o apoio destes grandes homens do vinho português, não teria sido possivel realizar este sonho. Felizmente ainda existem gentes boas neste mundo cada vez mais individualista.


Foi um ano em que apareceram novos clientes e em que os ja existentes me ajudaram a crescer. Clientes que em alguns casos se tornaram amigos. São eles que vão colocando os vinhos nos sitios onde merecem estar.

2016 foi portanto um ano em que pude contar com a colaboração de dezenas de pessoas nas diferentes areas, nas vinhas, nas vindimas, na adega, na parte administrativa, na parte comercial. 
Sozinhos não somos nada, devo muito a toda esta gente!

Agora entramos em 2017, um ano especial para mim e a minha familia por varios motivos.
Continuaremos a lutar pelos nossos ideais, pelos nossos sonhos!
Façam-me o favor de fazer o mesmo nas vossas vidas!

quinta-feira, 1 de dezembro de 2016

Vinha da Serra, depois do 2013, voltara com o 2016?

O post de hoje fala de uma das boas noticias das vindimas de 2016.


Uma das vinhas que engarrafei a parte em 2013 como single vineyard foi a "Vinha da Serra".


Uma vinha com cerca de 90 anos e que esta situada em plena Serra da Estrela, a altitude de 600m, numa encosta virada a poente. Esta exposição permite um bom amadurecimento apesar da altitude.


A textura fina do solo arenoso reflete-se na boca do vinho, nos seus taninos finos.



Esta vinha, pequena e cheia de falhas, produz muito pouco. Mesmo muito, muito pouco...


So em 2013 tinha conseguido uma barrica de 225L. Nesse ano engarrafei essa barrica a parte e resultou o tinto "Vinha da Serra 2013".
Mas em 2014 e 2015 não consegui mais de 150L por vindima e por isso integra nesses anos os blends do meu tinto "Vinhas Velhas".

Porta-enxertos plantados nas falhas e que servirão para manter o patrimonio genético da parcela




Em 2016 conseguimos vindimar uva que chegue para enxer novamente uma barrica.


Veremos se havera qualidade para engarrafamento parcelar "Vinha da Serra 2016".


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Parabens Portugal!


Foram ontem reveladas as estrelas Michelin 2017 para Portugal.
 
Os resultados são fantasticos, fez-se Historia!
 
Fico orgulhoso de ver os cozinheiros e os restaurantes portugueses cada vezes mais reconhecidos pela exigente equipa Michelin.
 
Cultura exigente, na qual me reconheço porque alem da qualidade e da técnica, estes criticos tambem procuram expressão do terroir em que se insere cada restaurante. E isso não é para qualquer um, indenpedentemente dos recursos financeiros e de marketing de que se dispõe.
 
Este reconhecimento tambem se deve ao contributo das equipas destes restaurantes e quero destacar em particular o trabalho que tem vindo a ser feito pelos sommeliers portugueses! Merecem todos o meu respeito.
 
Pessoalmente, ca estarei para propor as melhores mesas vinhos gastronomicos e de terroir, vinhos que se conjuguem bem com estes belos pratos, que proporcionem experiencias em que quer os clientes, quer os vinhos, quer os pratos ficam a ganhar. 
 
Os meus parabens aos Chefs, aos Sommeliers, as equipas premiadas e a todo o mundo da gastronomia lusitana!
 

segunda-feira, 7 de novembro de 2016

Venha provar os vinhos Dão Antonio Madeira no EVS

O EVS é ja este fim de semana no Centro de Congressos de Lisboa.
 
Tal como nos anos anteriores, estarei por la para dar a provar os meus vinhos no stand dos projectos Niepoort.
 
Vou estar 3 dias, de sexta 11 a domingo 13 de Novembro.
Espero me encontrar convosco por la!
 


sábado, 5 de novembro de 2016

Vinificação dos tintos 2016

Partilho hoje algumas fotos da vinificação dos tintos 2016.


Decorreram no mês de Outubro, no Dão Serra da Estrela, em Portugal.


Os principios dos meus métodos de vinificação são focados na epressão do sitio donde vêm as uvas.


Vinificações por vinhas.


Fermentação exclusivamente pelas leveduras indigenas, sem recurso a aditivos enologicos.


Macerações muito suaves e longas, extração muito ligeira por infusão, sem brutalidade, na busca de finesse e precisão, de texturas vidradas e elegantes.


Métodos que respeitam a matéria prima e o trabalho que tivemos nas vinhas ao longo do ano,