domingo, 30 de Dezembro de 2012

O contra-rotulo - La contre-étiquette

Estive a tentar escrever um texto para o contra-rotulo da colheita de 2011.
Gostaria de ler a vossa opinião.

"Este vinho foi vinificado o mais natural possivel, sem maquilhagens, com o objectivo de expressar a pureza do "terroir" granitico da Serra da Estrela, tal como era no tempo dos nossos avos.
Provem de uma vinha velha recuperada do abandono, onde se destacam castas autoctonas actualmente esquecidas, como a Tinta Pinheira, o Negro Mouro e a Tinta Amarela."


J'ai essayé de rédiger un texte pour la contre-étiquette du millésime 2011. Je souhaiterais connaître votre opinion.

"Ce vin a été vinifié le plus naturellement possible, sans maquillage, dans l'objectif d'exprimer la pureté du "terroir" granitique de la Serra da Estrela, tel qui était du temps de nos grand-parents. 
Il provient d'une vieille vigne récupérée de l'abandon, composée de cépages autochtones actuellement oubliés, tels que la Tinta Pinheira, le Negro Mouro et la Tinta Amarela."

sexta-feira, 28 de Dezembro de 2012

O repouso vegetativo

Nesta época de festas, a vinha prefere ficar no sossego a descansar de um ano cansativo.
Esta no que se chama "repouso vegetativo".


Para ela a festa começara na primavera e durara até outubro.
Antes disso terei de le ir dar uma ajudazinha ao poda-la la mais para Fevereiro. Isso ajudara a vinha a acordar em forma para mais um ciclo vegetativo.


Espera-se, claro, que esse ciclo seja bom.
Por enquanto, o outono e o inverno têm sido diferentes dos do ano anterior, pois tem chuvido bem, ao contrario da seca do inverno passado.
As reservas hidricas do solo podem assim recompor-se. Que assim continue!

quinta-feira, 13 de Dezembro de 2012

06/10/2012 - A segunda vindima - La seconde vendange

Foram mais duas semanas de espera até a segunda vindima.
A primeira semana foi chuvosa, foi a semana da vinificação da primeira vindima.
Cada vez que o tempo o permitia ia até a vinha tentar prevenir aparição de doenças, retirado alguma folha que estivesse a mais, arejando os cachos.
Na semana seguinte o tempo esteve mais ameno, com algum sol e temperaturas a volta dos 20/25°C.
Foi esperar até ao limite, esperando que a maturação adiantasse o maximo possivel, foram dias bastantes stressantes.

Finalmente vindimei a 6 de outubro na vespera de voltar para Paris.
Tive deste modo de encarreguar alguem da vinificação, seguindo as instruções relativamente ao controlo de temperatura e a extração.


Dia 6 de outubro, foi um sabado, dia de "raizes" segundo o calendaro lunar. Em principio dia que favorece a expressão do solo.


A vindima arrancou de manhã, com pessoal amigo pronto a ajudar.


A ideia era apanhar o resto das uvas que tinham ficado a amadurecer depois da primeira vindima.


Os sinais de podridão começavam a aparecer aqui ou acola, embora ainda pouco. Resultavam da chuva da semana anterior. Por isso pedi ou pessoal para ter atenção e escolher unicamente as uvas sãs.


A meio da manhã chegou o ritual da "bucha", tempo para fazer uma pausa e recarregar baterias.



O pai do meu sogro quis por toda a força vir ajudar, 90 anos, um exemplo para todos nos!




Depois da "bucha" voltamos para as carreiras, acabar a vindima.


 Acabamos um pouco antes do meio-dia.
Foi então altura de irmos almoçar ao ar livre, a sombra de um velho castanheiro.


A tarde levamos as uvas a adega, desengaçamos, encubamos numa cuba a 15°C.
A densidade do mosto indicava um grau potencial a volta dos 12,5%.
Fizemos bem esperar até ao ultimo dia!

A segunda vindima rendeu assim mais uns 1000L.
Assim sendo as duas vindimas de 2012 renderam ao todo 2700L o que diga-se é um produção baixa para 1 ha de vinha, mas o que me importa é conseguir qualidade.

2700L é mais do dobro da produção de 2011 (essa foi de 1100L), e então se remontar a 2010 nem se compara, ja nesse ano, depois de salvar a vinha da morte, obtive 80L.

A vinha esta agora de boa saude, em vez de estar morta, pode continuar a exprimir o Dão de antigamente!